Hipertensão Arterial, Tratamento da Hipertensão Arterial

Avanços Modernos em Novos Tratamentos para Pressão Alta

Publicado em 08/26/2022 por

Os avanços modernos tornaram mais fácil do que nunca controlar a hipertensão, graças a mais estudos e pesquisas, resultando em novos métodos de tratamento.

Os tratamentos padrão para pressão alta incluem exercícios de rotina, medicamentos, controle do estresse e nutrição adequada.

Embora esses métodos não estejam desatualizados e muitas vezes ainda façam parte do gerenciamento abrangente da saúde, muitas vezes é necessário tratamento medicamentoso adicional para obter uma melhora ideal.

Pesquisadores e profissionais de saúde estão sempre procurando novas maneiras de expandir nosso conhecimento sobre hipertensão e o que podemos fazer para preveni-la. Os avanços no tratamento se seguiram, especialmente porque a demanda por esses tratamentos só cresceu ao longo dos anos.

A crescente necessidade de tratamentos para pressão alta

A prevalência de hipertensão arterial na população em geral certamente continuará.

Não só é o atual maior contribuinte para a doença em todo o mundo, mas o número de pessoas afetadas por ela só aumentou nos últimos anos.

Há muitas razões possíveis para isso. Uma pode ser a dependência excessiva de refeições rápidas e baratas que são ricas em todos os compostos que podem aumentar sua pressão arterial. Também pode ser o resultado da vida de uma pessoa comum ser mais ocupada e estressante ou simplesmente resultado de predisposições genéticas.

Muito provavelmente, é uma combinação de muitos fatores diferentes.

De qualquer forma, a necessidade de tratamento e prevenção eficaz da hipertensão arterial é maior do que nunca, o que alimentou muitos estudos diferentes e descobertas resultantes.

Avanços modernos

Uma boa dieta e muitos exercícios são tão confiáveis ​​para reduzir a pressão arterial como sempre. No entanto, estes nem sempre podem ser suficientes por conta própria.

A maioria dos avanços modernos se concentrou em melhorar a eficácia dos medicamentos para pressão arterial, bem como reduzir quaisquer efeitos colaterais prejudiciais dos medicamentos. Isso levou a novos desenvolvimentos em terapias medicamentosas.

Terapia medicamentosa combinada

Alguns medicamentos que funcionam bem o suficiente por conta própria podem se tornar ainda mais eficazes quando combinados com outro medicamento.

Esse é o caso dos betabloqueadores e vasodilatadores, ambos usados ​​para tratar a pressão alta antes, mas que não eram comumente combinados até muito recentemente.

O principal objetivo dos betabloqueadores é limitar a capacidade do seu corpo de acessar o hormônio epinefrina ou adrenalina. Quando você está assustado, estressado ou com raiva, seu corpo produz epinefrina, que, por sua vez, aumenta sua pressão arterial.

Embora isso seja ótimo se você for um homem das cavernas enfrentando um animal perigoso, não é tão bom se você tiver estresse constante em seu trabalho diário, e é por isso que a epinefrina precisa ser restrita.

Os vasodilatadores, por outro lado, têm como alvo direto os vasos sanguíneos. Eles têm um efeito dilatador, o que significa que os vasos sanguíneos se alargam e o sangue pode passar por eles mais facilmente.

Quando betabloqueadores e vasodilatadores são combinados em uma proporção segura, as vias sanguíneas alargadas e os níveis de epinefrina bastante reduzidos mantêm sua pressão arterial sob melhor controle do que qualquer droga poderia realizar por conta própria.

A pílula tripla

Um dos desenvolvimentos mais recentes no controle da pressão arterial vem na forma da pílula tripla, que começou seu desenvolvimento em 2018. Esta pílula combina baixas doses de três tipos diferentes de medicamentos anti-hipertensivos na tentativa de melhorar a eficácia e reduzir a frequência de efeitos colaterais de pílulas de pressão arterial.

A formulação de pílula tripla inclui um antagonista do receptor da angiotensina II, um diurético e um bloqueador dos canais de cálcio. Cada um desempenha um papel na facilitação do fluxo sanguíneo normal.

O antagonista do receptor da angiotensina II impede que as células dos músculos lisos dos vasos sanguíneos utilizem a angiotensina II. Como esse hormônio normalmente restringe o fluxo sanguíneo, restringir sua absorção evita que as artérias se contraiam e mantém o sangue em movimento.

Os diuréticos aumentam a frequência de micção, que é uma maneira natural de seu corpo se livrar do excesso de sódio e fluidos que podem estar contribuindo para a pressão alta.

Finalmente, o bloqueador dos canais de cálcio auxilia no relaxamento dos vasos sanguíneos e na promoção do fluxo sanguíneo normal.

Quando combinados, esses três elementos têm uma capacidade significativa de reduzir a pressão arterial sem sobrecarregar o corpo.

Novos medicamentos anti-hipertensivos

Já existem alguns medicamentos diferentes usados ​​para tratar a hipertensão, mas desenvolvimentos recentes introduziram uma nova seleção de medicamentos que podem ser mais eficazes ou causar menos efeitos colaterais para pessoas diferentes. Estes incluem monatepil, imidazolinas e inibidores de vasopeptidase.

Monatepil é um bloqueador dos canais de cálcio e um bloqueador alfa. Essa dupla ação funciona para diminuir a contração no músculo liso dos vasos sanguíneos, o que o torna um anti-hipertensivo um pouco mais eficaz do que os medicamentos anteriores. Monatepil também pode ter menos efeitos colaterais relacionados e ser mais tolerável para diferentes pessoas.

As imidazolinas atuam em receptores centrais especiais para diminuir o tônus ​​vascular e podem auxiliar na regulação da pressão arterial. Esses novos medicamentos são uma área popular de pesquisa e parecem ser especialmente úteis no tratamento cardiovascular.

Os inibidores da vasopeptidase previnem a constrição dos vasos sanguíneos através do bloqueio da angiotensina II. Eles também foram indicados para serem muito úteis no tratamento da insuficiência cardíaca.

Esses novos medicamentos anti-hipertensivos já se mostraram muito promissores no combate à hipertensão arterial e condições relacionadas, e sem dúvida haverá muito mais desenvolvimentos nos próximos anos.

Pensamentos finais

Nosso conhecimento de nossos corpos e como podemos cuidar melhor deles está sempre se expandindo.

À medida que novos avanços ocorrem, podemos esperar uma melhora no controle da pressão alta, ao mesmo tempo em que alcançamos o menor número possível de efeitos colaterais.

Conteúdo Relacionado