Tipos de Dietas e escolhas Alimentares para Tratar Doenças Físicas

Publicado em 08/05/2022 por

Ao falar de comida como remédio, é importante lembrar que não estamos tentando substituir os tratamentos médicos ou a medicina ocidental. Em vez disso, você está procurando aprimorar outros tratamentos e possivelmente até impedir que doenças mais graves progridam alterando sua dieta.

Quando você muda o que come, altera o equilíbrio de nutrientes que obtém (ou não obtém). Se você não estava comendo refeições bem equilibradas antes, pode ser deficiente em certas vitaminas e minerais sem perceber, e piorar muito sua saúde e bem-estar geral.

Este artigo vai falar sobre certos tipos de dietas e escolhas alimentares para doenças físicas específicas.

Saúde do coração

Vamos começar com a saúde do coração, já que esta é uma das áreas mais comuns da saúde que pode ser melhorada apenas mudando sua dieta. Existem cerca de 70 milhões de pessoas só nos EUA que têm doenças cardíacas, e isso nem menciona quantas pessoas em outras partes do mundo sofrem com isso.

A saúde do coração vai além das doenças cardíacas. É comum que as pessoas negligenciem sua saúde cardiovascular até que ocorra um grande problema. Mas alterando sua dieta agora, você pode fornecer excelentes medidas preventivas contra outras complicações.

Mudanças simples na dieta para a saúde do coração

Para começar, aqui estão algumas diretrizes básicas para melhorar a saúde do seu coração por meio de sua dieta.

  • Obtenha suas gorduras saudáveis: As pessoas muitas vezes consideram todas as gorduras iguais, mas esse não é o caso! Existem gorduras saudáveis ​​e não saudáveis. Você quer evitar gorduras saturadas e óleos vegetais, mas definitivamente gosta de algumas das gorduras mais saudáveis. Isso inclui nozes e sementes, peixes gordurosos, azeite e abacate. Essas gorduras são ótimas para a saúde do seu coração.
  • Desfrute de grãos integrais: Os grãos integrais contêm vitaminas B essenciais que seu corpo precisa para manter uma boa saúde cardiovascular. Ao escolher pão, macarrão e alimentos semelhantes, escolha as variedades de trigo integral ou grãos integrais. Alguns grãos integrais saudáveis ​​incluem quinoa, arroz integral e pão de grãos germinados.
  • Coma um arco-íris ou frutas e vegetais: Para obter uma variedade de produtos em sua dieta, o que é importante para a saúde do coração e tantas outras áreas da sua saúde, tente escolher cores diferentes. Esta é a maneira mais fácil de obter um bom equilíbrio de nutrientes.
  • Não economize no chocolate amargo: Chocolate não é seu inimigo! Você só quer ter o cuidado de escolher o tipo mais saudável de chocolate quando se trata de saúde do coração, o que significa optar pelo chocolate amargo. Isso contém nutrientes importantes, incluindo antioxidantes, que são ótimos para sua saúde cardiovascular.

Alimentos a evitar

Embora você deva conversar com seu médico sobre planos de dieta específicos para a saúde do seu coração, alguns alimentos comuns a serem evitados incluem:

  • Gorduras saturadas – Você as obtém de alimentos fritos, óleo vegetal, gordura vegetal e alimentos rotulados como parcialmente hidrogenados.
  • Açúcar e gorduras refinados – Você não precisa ficar sem açúcar, mas tente limitar seus açúcares refinados e adicionados e gorduras refinadas.
  • Sódio – Você também deve ter cuidado com a quantidade de sódio em sua dieta, especialmente se você já tem pressão alta.

Saúde do cérebro

Acredite ou não, você também pode melhorar sua saúde cerebral e até reduzir o risco de Alzheimer e derrame apenas mudando para uma dieta mais saudável. É importante lembrá-lo de que isso não significa que você pare de ir ao médico, mas, em vez disso, entre as consultas, você garante que está recebendo todos os nutrientes certos que alimentam seu cérebro e o ajudam a funcionar melhor.

Aqui estão algumas dicas gerais de alimentos que podem ajudar na saúde do cérebro e na função da memória.

  • Encha-se de ácidos graxos ômega-3: Outra boa razão para comer mais gorduras saudáveis ​​com ácidos graxos ômega-3 é para o funcionamento adequado do cérebro. Você pode obtê-los de peixes gordurosos como atum e cavala, salmão, nozes e sementes.
  • Procure alimentos ricos em colina: A colina é importante para ajudar com os neurotransmissores do seu cérebro. Alimentos com muita colina incluem amendoim, ovos, sementes de linho, batatas, tomates, bananas e aveia.
  • Obtenha esses antioxidantes: Os antioxidantes têm muitos benefícios para a saúde de todo o corpo, mas para o cérebro, eles são especialmente úteis para protegê-lo dos radicais livres. Obtenha mais antioxidantes de alimentos como couve, espinafre, mirtilos, morangos e chocolate amargo.
  • Procure essas vitaminas importantes na sua alimentação: Existem algumas outras vitaminas e minerais que também são ótimos para a saúde do cérebro. É fácil adicionar esses alimentos à sua dieta para estimular o equilíbrio adequado em suas refeições.

Esses incluem:

  • Vitaminas B – Suas vitaminas B são absolutamente essenciais e fáceis de obter com grãos integrais como quinoa e arroz integral, além de aveia.
  • Vitamina E – A vitamina E é um antioxidante muito importante que ajuda no tecido adiposo do cérebro. Folhas verdes, brócolis, nozes e sementes geralmente contêm uma boa quantidade de vitamina E.
  • Zinco – Você também quer ter certeza de que está recebendo zinco suficiente. Isso é ótimo para melhorar seu equilíbrio cognitivo. Obtenha zinco de alimentos como sementes de girassol, soja, laticínios, ovos e carne vermelha.

Dor crônica

Não é incomum que os médicos recomendem algumas pequenas mudanças na dieta quando têm um paciente com dor crônica. Isso geralmente depende da condição que leva à dor, portanto, lembre-se de que, se você tiver uma doença como a de Crohn ou a fibromialgia, seu médico terá uma dieta específica para você seguir.

No entanto, para formas mais gerais de dor crônica, geralmente se resume à inflamação em seu corpo. Isso é o que torna muitas fontes de dor muito piores, então faz sentido que a escolha de mais alimentos anti-inflamatórios possa ajudar.

Alimentos anti-inflamatórios

A inflamação pode ser uma coisa ruim e boa ao mesmo tempo. Embora possa ajudar seu corpo a se defender de uma lesão ou infecção, a inflamação crônica pode resultar em ganho de peso ou doenças como lúpus, derrame, doenças cardíacas e muito mais. O risco de inflamação é aumentado por baixos níveis de atividade, alimentos inflamatórios e estresse. No entanto, pesquisas mostram que alguns alimentos podem combater a inflamação.

Aqui estão seis alimentos anti-inflamatórios.

Chá verde

O chá verde é uma das bebidas mais saudáveis ​​que você pode ter em sua dieta. Minimiza o risco de câncer, obesidade, doenças cardíacas, doença de Alzheimer e outras condições. Numerosos de seus benefícios resultam de suas propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, particularmente um composto chamado epigalocatequina-3-galato (EGCG). O EGCG previne a inflamação, minimizando a produção de citocinas pró-inflamatórias, bem como os danos aos ácidos graxos das células.

Abacates

Abacates são um superalimento e uma das gorduras mais saudáveis ​​que você pode consumir. Eles são ricos em potássio, fibras, gorduras monoinsaturadas saudáveis ​​para o coração e magnésio. Eles também têm tocoferóis e carotenóides que estão associados à redução do risco de câncer. Além disso, existe um composto que minimiza a inflamação dentro das células da pele. Segundo a pesquisa, os participantes experimentaram níveis reduzidos de marcadores de inflamação IL-6 e NF-kB do que o grupo controle.

Brócolis

O brócolis é altamente nutritivo e um vegetal muito popular, pois se encaixa na maioria das dietas. Junto com couve, couve de Bruxelas e couve-flor, é um vegetal crucífero. Estudos revelaram que consumir muitos desses vegetais resulta na redução do risco de câncer e doenças cardíacas. Isso está ligado aos impactos anti-inflamatórios de seus antioxidantes. O brócolis é preenchido com sulforafano, que é um antioxidante que combate a inflamação, diminuindo os níveis de NF-kB e citocinas, que promovem a inflamação.

Peixe gordo

Os peixes gordurosos são uma excelente fonte de proteína, bem como DHA e EPA, que são gorduras ômega-3 de cadeia longa. Mesmo que todos os peixes tenham essas gorduras ômega-3, alguns peixes são excelentes fontes. Eles incluem anchovas, cavala, arenque, sardinha e salmão. DHA e EPA podem diminuir a inflamação que pode resultar em síndrome metabólica, doença renal, diabetes e doenças cardíacas.

Seu corpo realiza o metabolismo desses compostos chamados protectinas e resolvinas, que contêm impactos anti-inflamatórios. De acordo com estudos, os participantes que consumiram salmão ou suplementos de DHA e EPA experimentaram uma redução no marcador inflamatório proteína C reativa (PCR).

Bagas

Bagas são pequenas frutas cheias de minerais, vitaminas e fibras. Embora haja uma grande variedade de frutas, as mais populares são morangos, amoras, mirtilos e framboesas. Bagas têm antioxidantes conhecidos como antocianinas. Esses compostos contêm impactos anti-inflamatórios que podem diminuir o risco de contrair doenças. Seu corpo produz células NK que ajudam a garantir o funcionamento ideal do sistema imunológico. Segundo a pesquisa, os homens que comiam mais frutas tinham mais células NK do que o grupo controle.

Conteúdo Relacionado